sábado, 13 de maio de 2017

O mais rápido e o mais silencioso: EUA apresentam novo submarino

O novo submarino representa uma "resposta" de Washington aos planos da Rússia de construir um submarino ainda mais comprido que os famosos Akula (Tubarão), segundo informou o correspondente da CBS, Don Dahler.

O novo submarino norte-americano será o mais rápido e, ao mesmo tempo, o mais silencioso da Marinha dos EUA. Os submarinos da classe Virginia são capazes de lançar mísseis de cruzeiro Tomahawk, assim como realizar operações de desembarque submarinas de fuzileiros navais de forças especiais, os SEAL. Por suas características gerais, o novo submarino figura entre os equipamentos bélicos navais mais letais dos EUA.
Segundo declarou à mídia o capitão Brian Sittlow, "o oceano se está tornando um elemento cada vez mais crítico para a nossa segurança nacional e nossa capacidade de influenciar e proteger os nossos interesses vitais em todo o mundo".
O militar disse que Washington, para o desenvolvimento da sua indústria submarina, se foca principalmente no controle dos oceanos mundiais, e não na concorrência com a China ou a Rússia.
"O oceano ocupa 70% do globo terrestre. Mais de 80% do comércio mundial flui através dos oceanos", salientou Sittlow
Em um futuro próximo, os EUA planejam dobrar seu número de submarinos da classe Virginia. A cada ano são produzidos dois navios deste tipo, cada um com um custo de 2 milhões de dólares. Apesar de esse ser um preço bastante elevado, Sittlow assegura que "é o preço que temos que pagar pela capacidade que nos dão estes submarinos".
Estes navios avançados são propulsados por reatores nucleares e são capazes de obter oxigênio de forma autônoma e dessalinizar a água marinha. Segundo declarou à CBS o comandante Dan Reiss, os novos submarinos já não precisam de periscópios tradicionais, em vez disso, estão equipados com um avançado sistema de vigilância controlado por um "joystick". Além disso, as imagens obtidas podem ser observadas por toda a tripulação.
Os futuros tripulantes do navio têm que passar por treinamento em um simulador virtual, assim como fazer exercícios em uma torre de 12 metros, cheia com 300.000 litros de água, em que praticam como escapar do navio em caso de acidente.
O comandante Sittlow acredita que "nenhum país do mundo pode influenciar a Marinha dos EUA".
Em 31 de março, na Rússia foi lançado o novo submarino nuclear de quarta geração Kazan, construído segundo o projeto aperfeiçoado Yasen-M. O poderoso submarino russo é capaz de lançar ataques de torpedos e mísseis contra alvos navais e destruir alvos em terra com mísseis de cruzeiro de vários tipos. Atualmente, é um concorrente direto dos submarinos norte-americanos.

Arquivo do blog segurança nacional