sábado, 13 de maio de 2017

Na rota das Malvinas: Por que o Brasil deixa pousarem aviões britânicos?

Embora tenha apresentado protestos ao Brasil por haver permitido o pouso de aviões militares do Reino Unido em trânsito de e para as Ilhas Malvinas, a Argentina parece ter aceitado as explicações do Governo brasileiro para essa autorização.

Os fatos foram questionados pela ministra das Relações Exteriores da Argentina, Susana Malcorra, junto a Brasília. Segundo a chanceler, há um compromisso de todos os países do Mercosul e da Unasul de não permitir que navios e aviões militares na rota das Malvinas utilizem portos e aeroportos como escala.
Para Roberto Godoy, especialista em assuntos militares, na realidade não existe um compromisso formal desses países (do Mercosul e da Unasul) com os argentinos, mas, sim, um acordo de modo a demonstrar a solidariedade dos países da América do Sul com a Argentina pelo fato de ela ter perdido a soberania das Malvinas para o Reino Unido durante o conflito militar de 1982, em que o Reino Unido levou a melhor e assumiu de vez a soberania sobre as Ilhas Falkland (ou Malvinas) para os britânicos.
Portanto, para Roberto Godoy, o Brasil não cometeu qualquer transgressão ou qualquer violação ao acordo ao permitir o reabastecimento dos cargueiros britânicos em solo brasileiro:Os aviões do Reino Unido que eventualmente tenham feito escalas aqui [no Brasil] são aviões cargueiros transportando víveres e coisas do gênero. São cargueiros Hércules C-130, com capacidade para transportar 20 (ou um pouco mais) toneladas de carga, e os pousos que fazem aqui são por uma razão universal, razões humanitárias. Normalmente, os pilotos desses aviões se declaram em pane seca, ou seja, com pouquíssimo ou quase nenhum combustível para seguir viagem. Eles então pedem autorização para pousar, e quando pousam têm os aviões inspecionados pelas autoridades brasileiras, que confirmam a falta de combustível bem como a ausência de armas, munições e outros recursos militares a bordo."
Ainda de acordo com Roberto Godoy, se esses aviões estiverem transportando armas, munições ou qualquer outro material bélico, os tripulantes serão obrigados a se desfazer da carga antes de efetuar o pouso.

Arquivo do blog segurança nacional