quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Câmeras com sistema Android se conectam às redes sociais


Câmera Android, isso soa estranho, não é? Você não pensa em uma câmera como tendo um sistema operacional. É como dizer uma “torradeira Windows ou “corda para pular Unix”. Sim, é nesse ponto que chegamos. Desde que as câmeras de celular ficaram boas o bastante para as fotos cotidianas, as vendas de câmeras começaram a cair. Para milhões de pessoas, a capacidade de compartilhar sem fio uma foto recém tirada  porFacebook, Twitter, e-mail, mensagem de texto é tão tentadora que elas estão dispostas a sacrificar muitas das vantagens das câmeras reais.
Trata-se de uma troca terrivelmente grande de qualidade de foto por conveniência. Uma câmera real está repleta de funções atraentes que a maioria dos telefones carece: zoom óptico, sensor grande, estabilização de imagem, cartão de memória removível, baterias removíveis e ergonometria decente. (Uma barra de vidro de 10 centímetros, com poucos botões, não é exatamente o melhor formato para um instrumento fotográfico manual).
Mas os fabricantes de câmeras não estão deitados aceitando a invasão dos celulares. Novos modelos da Nikon e da Samsung vêm da escola “se não pode vencê-los, junte-se a eles”. A Nikon Coolpix S800C (US$ 300) e a Galaxy Camera da Samsung (US$ 500 pela AT&T, US$ 550 pela Verizon) são híbridas fascinantes. Elas mesclam elementos do celular e câmera em algo totalmente novo e  se estas versões 1.0 falhas servirem como indicação muito promissor.
Vistas de trás, você poderia confundir ambas com telefones Android. A grande tela preta multitoque é repleta de ícones de aplicativos. Sim, ícones de aplicativos. Essas câmeras podem rodar Angry Birds, Flipboard, Instapaper, Pandora, Firefox, programas de navegação por GPS e assim por diante. Você pode baixar e rodá-los do mesmo modo. (Isso mesmo, uma função GPS. “Qual é o endereço, querida? Vou digitar na minha câmera”).
Da câmera para a internet
Mas o verdadeiro motivo para você querer uma câmera Android é a comunicação sem fio. Agora você pode tirar uma foto real com uma câmera real e então postá-la ou enviá-la onlineimediatamente. Você elimina todo o passo “chegar em casa e transferi-la para o computador”.
E já que sua câmera pode se conectar online, por que parar aí? Essas câmeras também fazem um ótimo trabalho de navegação pela Internet, e-mail, vídeos no YouTube, Facebook e outras tarefasonline. Bem, um ótimo trabalho para telefones, ao menos.
Você pode até mesmo fazer ligações pelo Skype, apesar de não poder ver seu parceiro de conversa; a lente precisa estar apontada para você.
Ambas as câmeras se conectam online por meio de hotspots Wi-Fi. O modelo da Samsung também pode se conectar por redes de celular, assim como um telefone, de modo que você pode fazer upload em quase qualquer lugar.
Planos nos Estados Unidos
É claro, há um preço para esse luxo. Nos Estados Unidos, a Verizon cobra pelo menos US$ 30 por mês se você não tiver um plano Verizon, ou US$ 5 se você tiver um plano Verizon Share Everything. A AT&T cobra US$ 50 por mês ou mais apenas pela câmera, ou US$ 10 a mais se você já tiver um plano Mobile Share.
Se você tiver escolha, a Verizon é a melhor opção. Não apenas US$ 5 por mês é muito mais realista do que US$ 10 por mês, mas a rede 4G LTE da Verizon é muito mais rápida do que a rede 4G da AT&T. Isso é importante, já que o que você mais fará com sua câmera celular 4G é upload de arquivos grandes de fotos. (Uau. Eu acabei de escrever “câmera celular 4G”?)
Essas câmeras também oferecem uma segunda grande atração: liberdade de software de foto. A loja Android está repleta de aplicativos de fotografia. Misture e combine. Tire uma foto com um aplicativo, recorte, rebaixe e poste no Instagram.
Apenas preste atenção, pois a maioria deles é para celulares, de modo que eles não reconhecem os controles de zoom óptico de câmeras reais. Alguns dos aplicativos de edição de fotos também não lidam com os grandes arquivos de 16 megapixels dessas câmeras. Infelizmente, você não saberá até pagar de US$ 1,50 a US$ 4 para baixar esses aplicativos.
As próprias câmeras, cada uma disponível em preto ou branco, são claramente projetadas para ostentar sua superioridade sobre as câmeras de celulares. Você tem resolução de 16 megapixels. Você tem um flash real embutido, em vez do fraco LED inserido na traseira dos telefones. E essas câmeras têm uma capacidade de zoom incrível, mesmo quando gravam vídeos –10X para a Nikon, impressionantes 21X para a Samsung. Os telefones, é claro, geralmente não possuem zoom óptico.
Todos os truques habituais de tela de toque funcionam: toque para tirar uma foto; passe o dedo para ver a próxima foto ou a anterior; abra dois dedos para dar zoom em uma foto.
Nenhuma câmera tem visor óptico. Ambas oferecem modo panorâmico automático, automontado, onde você cria uma foto ultralarga (de até 360 graus) apenas rodando a câmera ao seu redor.
Modelos disponíveis
A Nikon S800C é compacta e atraente. À direita de sua tela de toque de 3,5 polegadas, botões físicos de plástico aparecem para as funções padrão Android: Voltar, Home e Menu. (Na Samsung, eles são botões na tela que às vezes desaparecem.) Inteligentemente, a Nikon fez a câmera ligar rapidamente, para que você já possa começar tirando fotos; o Android leva outros 30 segundos para ser carregado, durante os quais o botão Home não funciona.
Botões de toque para exposição, timer, macro e flash aparecem no lado esquerdo da tela. Isso é útil, porque a menos que você intervenha, a câmera dispara o flash com frequência demais. O modoSmart Portrait é útil; ele não tira a foto até que a pessoa sorria.
As telas Home parecem um pouco datadas, porque a S800C usa uma versão de quase dois anos doAndroid. Mas as opções para compartilhar são abundantes: Pinterest, Facebook, Gmail, Google Plus, Instagram, Picasa, Skype ou Twitter. Você pode postar no Flickr por e-mail ou por meio de aplicativos.
A Samsung Galaxy Camera é completamente diferente. Ela é imensa e pesada, como convém a uma câmera com tela de 4,8 polegadas. (A Samsung afirma que é a maior de qualquer câmera disponível.) Você não vai conseguir colocá-la no bolso a menos que esteja vestindo sobretudo.
Ela roda a versão Android JellyBean, a mais recente do Android, e está repleta de funções. O controle por voz é realmente útil: você pode dizer “zoom“, “disparar” ou “capturar”, o que é muito melhor do que qualquer timer.
Apenas a Samsung oferece controles manuais plenos e suas pré-configurações de cena são muito mais interessantes. Há vídeo em câmera lenta; um modo que permite a um colega desenhar no escuro com lanterna ou estrelinha; e o modo Melhor Rosto, que permite que você escolha o melhor rosto de várias fotos de grupo. A câmera monta as diferentes cabeças em uma única foto perfeita.
Contras
Por mais conveniente que essas câmeras sejam, você provavelmente não deveria comprá-las. Por três motivos.
Primeiro, a duração da bateria é terrível: 140 ou 280 fotos por carga (para a Nikon e Samsung). E isso presumindo que você não use nenhum aplicativo (navegar na internet, navegar com GPS, jogarAngry Birds), o que gasta a bateria ainda mais rapidamente.
Segundo, o preço é muito alto. Se o lance de compartilhar online interessa, aqui estão duas palavras que devem fazer os gerentes de produto dessas câmeras estremecerem: cartão EyeFi.
Os EyeFi série X2 são cartões de memória SD padrão (US$ 30 para o modelo de 4 gigabytes) que adicionam Wi-Fi a qualquer câmera. Ligue a função Modo Direto e pronto: sua câmera agora envia toda foto nova para seu smartphone assim que é tirada, pronta para upload. A configuração é mais complicada, mas coloca online suas fotos recém-tiradas por uma fração do preço, e funciona em qualquer câmera que você quiser.
Finalmente – e isso é de partir o coração  as fotos não são muito boas. O “ruído” digital (pixels manchados) e a fraca nitidez das imagens são o que você esperaria de uma câmera da metade do preço. E não é de se estranhar; ambas as câmeras são baseadas em modelos não Android das mesmas empresas, que custam centenas de dólares a menos. Pelos US$ 500 que você paga pela Samsung, seria possível comprar uma câmera modelo SLR que proporciona fotos espetaculares, como a NEX-5N da Sony.
Mas não odeie essas câmeras por causa de sua relação preço/qualidade ser terrível. Ame-as pelo que realmente são: ousadas pioneiras 1.0 grandes experimentos que indicam o caminho feliz pelo qual as câmeras poderão seguir nos próximos anos. 
SEGURANÇA NACIONAL BLOG

Arquivo do blog segurança nacional