quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Novos aviões e o futuro da Força Aérea


Na Sibéria, do aeródromo da fábrica de aviões de Irkutsk levantou voo o caça Su-30SM, criado por encomenda da Força Aérea da Rússia com base no projeto de exportação bem sucedido Su-30MKI. Em Ulyanovsk, pela primeira vez levantou voo um Il-76MD-90A, o primeiroIL-76 de fabricação russa, altamente modernizado em comparação a seus antecessores soviéticos.
Su-30SM deve manter a prontidão de combate da Força Aérea da Rússia até o início de produção do caça de quinta geração T-50, que irá substituir o obsoleto T-10.
A atualização do parque de aviões Su pode ser dividida em três fases. A primeira, que começou em meados da década de 2000, é a reparação e modernização de dezenas de caças Su-27. Os aviões atualizados receberam armamentos “ar-superfície” modernos de alta precisão e mísseis “ar-ar” atualizados.
A segunda fase começou em 2009, quando foram assinados contratos para o fornecimento de novos caças dessa família, e depois, os recém-construídos Su-27SM3 e Su-30M2 foram entregues na base aérea em Krymsk no sul da Rússia.
Agora, na terceira fase, começam fornecimentos dos membros mais avançados da família T-10Su-35S e Su-30SM.
Os caças são muito populares, mas o papel de aviões militares de transporte na defesa nacional não é menor. Além disso, um avião de transporte é esperado não só pelos militares, mas também por companhias aéreas civis que efetuam transportes de cargas ao redor do mundo. Por isso, causa interesse a produção de um atualizado Il-76. Mas serão justificados gastos de muitos bilhões para a restauração de uma máquina desenvolvida há 40 anos?
Os especialistas concordam que seria mais razoável um programa de revisão geral do IL-76 e seu equipamento com motores atualizados D-30. O dinheiro assim poupado poderia ser gasto na aceleração do desenvolvimento do avião An-70, que em suas principais características é similar ao C-17 Globemaster norte-americano.
No entanto, neste caso, a chefia da Força Aérea e da indústria aeronáutica da Rússia optaram por reiniciar a produção de IL-76. O quanto este passo é justificado – o tempo dirá.
SEGURANÇA NACIONAL BLOG

Arquivo do blog segurança nacional