terça-feira, 6 de junho de 2017

Especialista militar: Moscou é capaz de repelir qualquer ataque e os EUA sabem disso

Moscou é a cidade mais bem protegida de qualquer ataque nuclear, escreve a revista The National Interest. O especialista militar Oleg Glazunov comenta ao serviço russo da Rádio Sputnik as conclusões tiradas pelos especialistas norte-americanos.

"No mundo existe apenas uma cidade que está protegida por mísseis com ogivas nucleares — é Moscou", escreve a revista.
A capital da Rússia é a única cidade do nosso planeta que está coberta por um "escudo nuclear", acrescenta a edição.
A revista destaca que o Tratado sobre Mísseis Antibalísticos (ABM), assinado pelos Estados Unidos e União Soviética em 1972 (com o objetivo de limitar o número de mísseis desse tipo usados para defender certos lugares contra mísseis com ogivas nucleares), contém uma exclusão — o acordo não proibiu todos os sistemas de defesa antimíssil. Cada integrante do acordo poderia possuir um sistema desses, não ultrapassando os 100 mísseis. Segundo aponta o NI, o sistema poderia ser implantado em qualquer lugar.
Os Estados Unidos decidiram instalar o seu sistema Safeguard ao redor da base aérea militar Grand Forks no estado do Dakota do Norte, que funcionou por um curto período e logo depois foi desmantelado.
Enquanto isso, na União Soviética a situação era outra — se Moscou tivesse sido destruída por uma bomba nuclear, o país perderia a capacidade de responder ao ataque, pois todo o comando se encontrava na capital.
Isso resultou na instalação do sistema A-35, que consistia de uma rede de defesa antiaérea que deveria garantir a sobrevivência de Moscou em caso de guerra nuclear.
Se levarmos em consideração que o potencial nuclear de ambos os países não parou de crescer, nos anos 70 o sistema A-35 foi substituído por um mais novo — o A-135. Ao projeto de 32 rampas foram adicionados 68 novos sistemas, sendo assim, Moscou atingiu o limite de 100 instalações acordado pelo Tratado sobre Mísseis Antibalísticos (ABM).
Tendo em conta toda a situação, o analista em ciências militares da Universidade de Economia Plekhanov russa, Oleg Glazunov, expressou sua opinião ao serviço russo da Rádio Sputnik:
Nós possuímos o sistema automático Perimetr que é capaz de efetuar uma resposta de retaliação a qualquer ataque nuclear e que permite realizar um contra-ataque mesmo em caso de eliminação do comando. Além disso, o nosso sistema de defesa antiaéreo tem sempre ultrapassado os norte-americanos em 30-40 anos. Os sistemas de mísseis antiaéreos S-400 e S-500 — são supermodernos. O sistema de defesa antimíssil dos EUA não faz sombra ao nosso sistema de defesa antiaéreo, sempre tivemos vários níveis de intercepção de mísseis, Moscou sempre esteve bem protegida e os norte-americanos sabem-no. Talvez esse fato seja um fator que os contenha. Enquanto temos as valorosas tropas do sistema de defesa antiaéreo nos protegendo, podemos dormir tranquilamente."
No entanto, o analista político continua dizendo que não é correto acreditar que Rússia está se preparando para uma guerra nuclear.
"Os EUA não escondem que Rússia e China são seus adversários principais. É preciso levar em consideração a propaganda antirrussa que se difunde hoje e como os norte-americanos tentam nos testar. Por isso, é necessário um trabalho escrupuloso, devemos estar prontos para repelir qualquer ataque. E estamos prontos para fazê-lo. Não vamos atacar primeiro, mas o nosso ataque de resposta poderá ser tal, que os norte-americanos passarão um mau bocado, e eles têm que saber isso", concluiu.

Arquivo do blog segurança nacional