quinta-feira, 18 de maio de 2017

Aviões hipersônicos dos EUA não poderão evitar radares russos

Sendo rápidas, se movendo à velocidade de cerca de 6 quilômetros por segundo, as aeronaves hipersônicas dos EUA ainda não são tão rápidas que possam evitar os "olhos de águia" do sistema de alerta de ataque com mísseis russo.

Todas as novas estações de radar da classe Voronezh são capazes de marcar e vigilar as aeronaves americanas que foram desenhadas para enganar os sistemas de alerta russos. Até recentemente, as trajetórias destes "corredores rápidos" eram impossíveis de registrar e muito menos de seguir.
Agora, o Pentágono está desenvolvendo vários veículos hipersônicos como parte do DARPA Falcon Project. A arma hipersônica avançada (AHW em inglês), que acelerou até cerca de 6 quilômetros por segundo durante os testes de voo em 2015 e 2016, está na fase final de desenvolvimento.
Um planador hipersônico americano é transportado por um foguete até ao espaço. Depois ele se separa do foguete lançador, acelera, estabiliza e desliza a cerca de 100 milhas por cima do mar. Ele manobra até ao alvo e depois mergulha, invisível aos radares terrestres concebidos para detectar mísseis balísticos intercontinentais”, disse ao jornal Izvestia o editor-chefe do portal Militaryrussia Online Dmitry Kornev.
Os radares de alerta antecipado Voronezh, funcionando na banda de centímetros e de decímetros, são capazes de detectar alvos até 4.000 quilômetros de distância e a altitudes superiores a 8.000 quilômetros.
Ele também mencionou que as estações de radar Voronezh têm potencial de modernização para garantir a segurança de 100% do espaço aéreo nacional.
Um radar Voronezh pode ser construído em 18 meses, é servido por uma equipe de 15 pessoas e custa cerca de 26,4 milhões de dólares.
As estações de radar Voronezh estão atualmente desdobradas ao longo de todo o comprimento da fronteira russa. O radar que está em Irkutsk está monitorando o espaço aéreo que se estende da China até à Costa Oeste dos Estados Unidos.
Aquele que está na região de Kaliningrado abrange uma área desde a Grã-Bretanha até à Costa Leste dos EUA e outro na região de Krasnodar é capaz de registrar lançamentos de mísseis no Oriente Médio, Europa do Sul, Península Árabe e África do Norte.
Os radares Voronezh que estão agora sendo construídos nas regiões de Krasnoyarsk e Orenburg e perto de Murmansk protegerão eficazmente a Rússia contra possíveis ataques com mísseis a partir de sudeste e do Ártico.

Arquivo do blog segurança nacional