terça-feira, 6 de agosto de 2013

Senado quer explicações sobre os caças

Roberto Godoy - O Estado de S.Paulo
A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado vai realizar uma audiência pública no dia 13 deste mês a fim de debater a crise dos novos caças de tecnologia avançada da Força Aérea.
A Aeronáutica decidiu desativar em dezembro os 12 Mirage 2000 do 1.º Grupo de Defesa Aérea, sem que o governo tenha decidido o processo F-X2, a escolha das aeronaves supersônicas de alta tecnologia, sucessoras da frota que entrou na fase de fadiga de célula e não poderá mais sair do chão.
Antes da audiência com o brigadeiro Juniti Saito, comandante da Aeronáutica, haverá outra sessão, pela manhã, para discutir os satélites geoestacionários de defesa e comunicações estratégicas, com o presidente da Telebrás, Caio Bonilha.
O presidente da comissão, senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), ouviu exposições em separado das três empresas candidatas ao fornecimento das aeronaves - a americana Boeing Defence, a francesa Dassault Aviation e a sueca Saab. O contrato envolve 36 caças, suprimentos e transferência de tecnologia. A avaliação é de que o valor fique entre US$ 4,5 bilhões e US$ 6,5 bilhões financiados e com grande prazo de carência.
Novela. O governo está prorrogando a compra dos jatos de combate desde 1996, ano em que, pela primeira vez, o então presidente Fernando Henrique Cardoso recebeu um estudo detalhando a necessidade de renovação do equipamento, iniciando o procedimento F-X que viraria o atual F-X2 com uma só novidade, a exigência de transferência ampla de tecnologia. O governo, todavia, não fez a opção.
SNB

Arquivo do blog segurança nacional