sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Base na Antártida tem novo sistema




Instalado pela Oi, sistema vai permitir acesso à internet, telefonia móvel e transmissão de TV a cerca de 70 pesquisadores e militares que vivem na estação....A operadora Oi inaugurou, ontem, em parceria com o Ministério das Comunicações e a Marinha, um novo sistema de telecomunicações para a Estação Antártida Comandante Ferraz, base brasileira na Antártida incendiada em fevereiro do ano passado.
A empresa já mantinha sistema semelhante na estação desde 2006, mas a infraestrutura foi destruída pelo incêndio que deixou dois mortos.
O novo sistema, criado para suportar o clima adverso da região, que chega a 20 graus negativos, permitirá que os cerca de 70 pesquisadores e militares instalados na base tenham acesso a serviços de internet, telefonia móvel e recepção de sinal de TV.
Instalado após um mês de trabalho de técnicos da empresa que viajaram ao local, o serviço tem antenas com sistema anticongelante, modems, roteadores, terminais para gerenciamento da estação, pressurizador e antenas de transmissão e recepção de sinais de telefonia móvel. Também foi reconstruída uma estação terrena de satélite para ligar a base à rede da Marinha.
"Os equipamentos permitirão que as pessoas que estão aqui possam se comunicar com seus familiares", disse o comandante da Marinha Julio Soares de Moura Neto, por videoconferência, da Antártida.
De acordo com o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, o custo de uma ligação da Antártida é igual ao de uma chamada local.
O governo brasileiro já liberou R$ 40 milhões para a estação, que ainda não foram totalmente gastos, informou o comandante Moura Neto. A expectativa é que a reconstrução da base custe € 40 milhões (em torno de R$ 105 milhões) e que a estação retorne à sua operação normal em 2014.
O comandante da Marinha afirmou que será promovida uma licitação para a construção de uma nova base na Antártida na segunda metade do ano, com o início das obras previsto para novembro ou dezembro.
O evento de lançamento do serviço ocorreu no edifício do centro de gerência de rede da Oi no Rio de Janeiro. Pedro Ripper, diretor de inovação da operadora, não informou o investimento feito pela empresa. Não houve custo para o governo.
No último ano, os militares e pesquisadores que retornaram à base na Antártida para retomar suas pesquisas tinham acesso à internet e ao telefone com a ajuda de uma antena via satélite montada e desmontada diariamente.
Luciana Bruno...NOTIMP..SNB

Arquivo do blog segurança nacional