sábado, 1 de julho de 2017

O melhor do mundo': como míssil russo-indiano revoluciona mercado de armas

Os desenvolvedores do míssil russo-indiano BrahMos chamam a sua obra de "melhor míssil do mundo" e afirmam que esta arma não tem análogos em sua classe. O colunista de Sputnik Aleksandr Khrolenko relata quais são as vantagens do projétil do futuro.

Um alcance de 400 km, uma grande variedade de trajetórias de voo a uma velocidade supersónica, um sistema de guiamento simplificado e uma alta eficácia contra a defesa antiaérea: estas são apenas algumas das vantagens da arma de nova geração
O míssil é autoguiado e voa de acordo com o princípio "atirar e esquecer". Teoricamente, nove mísseis são capazes de destruir três fragatas do adversário equipadas com os sistemas de defesa antimíssil mais modernos.
Durante as manobras recentemente realizadas, um míssil deste tipo "partiu" em duas metades um navio, que havia sido retirado de serviço e posto como alvo para esta sofisticada arma.
A velocidade do BrahMos é três vezes maior que a do som, o que deixa para trás todos os possíveis análogos do míssil. Os construtores, por sua vez, planejam fazer com a arma seja ainda mais rápida, mais ágil e mais "inteligente".
O BrahMos é uma arma universal, já que pode ser instalada sobre veículos tanto terrestres como marítimos ou aéreos. De acordo com Khrolenko, a versão para aviões tem uma construção mais leve.
Além disso, prevê-se terminar as obras de integração do míssil com o caça Su-30MKI, que aumentará substancialmente as possibilidades de seu uso em combate, informou o diretor gerente da empresa produtora do míssil, Aleksandr Maksichev.
A versão aérea do míssil BrahMos-A tem 8,4 metros de comprimento e pesa cerca de 2.500 kg. O caça Su-30MKI é capaz de transportar um míssil desta classe; no entanto, tem que levar dois, por isso nossos especialistas estão projetando uma versão com um tamanho reduzido", disse Maksichev.
Hoje 10 navios já estão equipados com esses mísseis. Além disso, está sendo construída uma série de fragatas indianas armadas com BrahMos, e é possível que os navios militares russos do projeto 11356 também sejam dotados destas armas.

Arquivo do blog segurança nacional