quinta-feira, 15 de junho de 2017

Maior aerodeslizador do mundo será 100% russo

Forças Armadas da Rússia decidiram reiniciar a produção dos aerodeslizadores militares Zubr. Este mítico navio de origem soviética obterá pela primeira vez peças totalmente russas.

A construção do primeiro Zubr totalmente russo está prevista para 2018, informa o jornal Izvestia.
Este navio de desembarque anfíbio é considerado como o maior do mundo: seu deslocamento é de 535 toneladas e ele é capaz de transportar três tanques de até 150 toneladas de peso total.
Os Zubr devem substituir as lanchas de desembarque Dyugon e as lanchas blindadas Gurza, que têm um tamanho muito mais modesto. Não são suficientes para fazer frente aos retos que enfrentam as Forças Armadas e a Marinha, destacou ao Izvestia o especialista militar Andrei Frolov.
De acordo com as suas palavras, o reinício da construção dos Zubr está associado principalmente ao início da produção das turbinas de gás na fábrica Saturn, no rio Volga.
Se trata de bons navios que sempre encontrarão seu nicho. O aerodeslizador mencionado de alta velocidade terá demanda lá onde as águas normalmente são calmas, como nos mares Negro, Báltico e Cáspio", explica o especialista.
Ainda não se sabe onde se construirá o primeiro Zubr 100% russo. Essa capacidade existe na fábrica Almaz, sediada em São Petersburgo, na fábrica More, na Crimeia, e na fábrica Yantar, da região de Kaliningrado.
História
Os Zubr foram projetados nos anos 1970 como os aerodeslizadores maiores e mais velozes, em comparação com outros navios soviéticos deste tipo. O "pai" do Zubr é considerado o engenheiro German Koronatov, que trabalhava sobretudo na Almaz.
O primeiro Zubr foi lançado em 1986 e, depois de uma série de ensaios, finalmente foi incorporado nas Forças Armadas Soviéticas em 1988.
Navio único
Os navios de desembarque anfíbio do projeto 12322 Zubr podem efetuar desembarques em 70% do total da linha costeira dos mares e oceanos do planeta.
As três hélices do Zubr permitem a este veículo anfíbio alcançar uma velocidade de 70 nós, sem precedentes para navios (130 quilômetros por hora, enquanto normalmente uma lancha blindada se desloca a 35 nós).
Além disso, os Zubr são invisíveis para os radares. Este efeito foi conseguido por causa do fato que durante seu movimento esta nave produz uma enorme nuvem de água que "apaga" sua forma no monitor de radar.

Arquivo do blog segurança nacional