segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Por que Ratnik-3 russo é um 'sistema avançado de combate da infantaria

Com quase todos os militares russos sendo equipados com o sistema de combate de infantaria de última geração Ratnik até 2020, a Sputnik aprofunda o que torna o Ratnik único.

Na semana passada, Aleksandr Romanyuta, chefe do Comitê Científico Militar das Forças Terrestres Russas, expressou a esperança que até 2020 "quase todos os militares das forças terrestres recebam equipamentos Ratnik".
Anteriormente, o comandante das Forças Terrestres russas, o coronel-general Oleg Salyukov, disse que o trabalho de criação do uniforme de combate pessoal Ratnik-3 já está em andamento.
De acordo com o especialista militar russo, Sergei Cherkasov, a Rússia levou 15 anos a criar "um sistema de combate de infantaria revolucionário", que fornece "capacidades de comunicação sem precedentes, tanto dentro de uma equipe como entre a unidade de combate e o centro de comando".
O equipamento Ratnik contém mais de 40 componentes, incluindo armas de fogo, proteção do corpo, acessórios óticos, dispositivos de comunicação e navegação, bem como sistemas de suporte de vida e fonte de alimentação.
O equipamento Ratnik foi projetado principalmente para atiradores especiais, infantaria, condutores de veículos blindados e artilheiros de aeronaves de combate.
O equipamento Ratnik-2 aumenta significativamente a eficiência em combate e a capacidade de sobrevivência do soldado, igualmente por ser mais leve: com 20 quilos, pesa apenas metade do seu antecessor.
Quanto ao kit de combate de infantaria Ratnik de terceira geração, ele contará com uma variedade de ferramentas biomecânicas integradas únicas, incluindo elementos de exoesqueleto; ele contará com apoio microclimático incorporado e um sistema de monitoramento do estado de saúde.
No Ratnik-3, todas as informações e dados de pontaria serão diretamente suprimidos à viseira ou óculos de proteção.
O equipamento Ratnik ajuda o soldado a manter contato rádio estável com outras unidades e receber dados de reconhecimento continuamente atualizados sobre as posições inimigas e a situação geral na zona de combate, algo que os especialistas dizem que realmente torna um militar em uma "máquina de luta intelectual".
Notavelmente, a informação sobre uma equipe de soldados equipados com kits Ratnik é retransmitida diretamente para a tela do computador do seu comandante.
Além disso, a atividade do destacamento pode ser monitorada remotamente pelo ministro da Defesa e pelo comandante-em-chefe da Rússia com ajuda de câmeras de ação individual e veículos aéreos não tripulados, segundo a rede de notícias russa Zvezda.​As características da "eletrônica de campo de batalha" do kit Ratnik se tornaram únicas, disse a Zvezda, acrescentando que um soldado ferido equipado com Ratnik-3 pode reportar ao seu comandante pressionando apenas um botão em seu equipamento.
Se um soldado perder a consciência como resultado de uma lesão grave, seu comandante será notificado com a ajuda de um relógio especialmente projetado do soldado, ou um bracelete, que está configurado para fornecer um sinal se uma pessoa não se mover por mais de 40 segundos.
O relógio exclusivo do exército do Ratnik-3 inclui toda a gama de recursos sofisticados, tais como um módulo de navegação, um sensor de movimento e um sensor de atividade vital.
​Falando do sensor de movimento, ele pode ajudar mesmo a detectar a aproximação de unidades de reconhecimento do inimigo, disse a Zvezda. A edição também elogiou a eletrônica do Ratnik-3, que combina um range-finder, binóculos, um sistema de navegação, uma câmera digital, bem como uma câmera de vídeo e um transmissor de informações em um único dispositivo.

Arquivo do blog segurança nacional