Wikipedia

Resultados da pesquisa

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Analista: Míssil DF-41 chinês é um sinal político importante que China envia aos EUA

China pode ter instalado seus novos mísseis balísticos intercontinentais de produção própria DF-41 (Dongfeng-41) na província de Heilongjiang, que fica perto das fronteiras russas, comunica o Global Times.

Comentando o assunto, o analista militar russo Vasily Kashin disse à Sputnik China o seguinte (publicamos a íntegra do comentário):
***
Ainda em dezembro, numa série de páginas online e fóruns militares chineses apareceram fotos do suposto lançador móvel de um míssil balístico intercontinental (ICBM). Segundo foi indicado, o lançador se deslocava por uma rodovia de uso comum na área da cidade de Daqing, na província de Heilongjiang. A imagem do lançador de 

Ainda se baseando nas fotos anteriores, uma série de especialistas chegaram à conclusão que se trata duma variante móvel do novo míssil balístico intercontinental chinês DF-41. Antigas fotos deste sistema tiveram um certo efeito que, contudo, não saiu para além dos círculos de analistas. Mas desta vez a mídia de Hong Kong escreveu sobre o míssil, incluindo o jornal Pingguo Ribao. O jornal comunicou sobre a instalação de três brigadas com mísseis DF-41, com referência ambígua a "mídia estrangeira e sites militares chineses". Uma brigada, como foi indicado no artigo, deveria ser instalada na área da cidade de Xinyang, na província de Henan, outra na província de Heilongjiang e a terceira na província de Xinjiang.
A publicação de especulações de caráter militar não é raridade na mídia de Hong Kong. Desta vez, porém, tal informação foi apoiada pelo jornal governamental chinês Global Times, que publicou um comentário aguerrido típico dele de que a China “vai ser mais respeitada” devido a este novo míssil. Assim, nós assistimos a um processo habitual de oficialização da informação sobre um novo tipo de equipamento militar na mídia chinesa. De modo semelhante anteriormente tinha sido introduzida a informação sobre outros sistemas importantes, por exemplo, sobre o caça J-20.
É evidente que as autoridades chinesas queriam que a informação ganhasse ressonância política e alcançou isso. Apesar de a elaboração e preparação para construção do DF-41 ter levado muitos anos, a publicação da informação sobre isso surgiu praticamente após a inauguração do presidente dos EUA Donald Trump, que é conhecido pela sua retórica contra a China. Dessa forma a China está enviando aos EUA um sinal político importante.
Se o posicionamento dos mísseis aconteceu realmente, o significado deste acontecimento para a Rússia não é grande. Há muito tempo que a maioria das cidades russas está dentro da zona de alcance de mísseis balísticos chineses de médio alcance, mais numerosos, dissimulados e precisos. Pelos vistos a suposta brigada de Daqing se destina a atacar a costa leste dos EUA.  O início da instalação do DF-41, a nova geração de mísseis intercontinentais chineses de ogivas múltiplas de orientação autônoma, vai levar ao crescimento rápido da ameaça nuclear por parte da China aos EUA e exigir uma reação séria por parte dos norte-americanos.

Arquivo do blog segurança nacional