sexta-feira, 11 de março de 2016

Aeronave de ataque da Embraer é cogitada para substituir o "caçador de tanques" A-10

Um dos mais importantes aviões da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF), o modelo de ataque ao solo Farchild Republic A-10, está chegando ao limite de sua vida-útil e em breve será aposentado. E um dos candidatos para substituí-lo é o Embraer A-29 Super Tucano.

Segundo o site Flight Global, o Super Tucano é uma das alternativas estudadas pela USAF no projeto de aquisição de um nova aeronave de “apoio aéreo aproximado” (CAS – Close Air Support) – avião de ataque ao solo que auxilia ações terrestres, como combates contra guerrilhas e tanques..
Outro candidato ao posto do A-10 é o Beechcraft AT-6 “Wolverine”, fabricado nos EUA e com características semelhantes às do avião da Embraer. Ambos têm motores turbo-hélice e podem ser equipados com um variado leque de sensores e armamentos “inteligentes”.
De acordo com o artigo, o comando militar dos EUA busca uma solução com custos operacionais menores, por isso a sugestão de substituir o A-10, com motores a jato, por modelos turbo-hélice, de manutenção mais baixa e menor consumo de combustível.
Outra opção, desta vez com motor a jato, pode ser um avião de ataque derivado do programa T-X da USAF, que prevê o desenvolvimento de uma aeronave de treinamento avançado. No entanto, essa solução pode demorar e custar caro. O T-X deve ser concluído somente em 2024.
A USAF também estuda adaptar alguns dos caças do arsenal atual, como os modelos F-15 Eagle e F-16 Falcon, além do novo F-35, para a função do A-10. Porém, essa alternativa também pode apresentar altos custos operacionais, sobretudo com combustível.
A substituição do A-10, que já participou de conflitos no Iraque, Afeganistão e Balcãs, deve acontecer entre 2018 e 2022. A aeronave, também chamada de “Thunderbolt II” e “Warthog” (na versão mais avançada, de 2007), entrou em operação com a USAF em 1977.
Entre 1972 e 1984, foram produzidos 716 unidades do A-10 e quase 300 exemplares continuam em operação com as forças armadas dos EUA.
O Super Tucano citado pelo site americano é a versão montada pela Sierra Nevada Corporation (SNC), fabricante norte-americana parceira da Embraer na área de defesa. Os primeiros A-29 montados nos EUA entraram em operação recentemente com a força aérea do Afeganistão e oLíbano será o próximo cliente.
Peças da aeronave produzidas em instalações da Embraer são enviados para Jacksonville, na base da Sierra Nevada, e os componentes importados, como motores e equipamentos eletrônicos, são enviados diretamente para a linha de montagem final nos EUA.
Como anunciou a publicação, a USAF deve tomar a decisão de aposentadoria e substituição dos veteranos A-10 no prazo de cinco anos.
SNB

Arquivo do blog segurança nacional