segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Hackers pró-Estado Islâmico invadem contas web do comando militar dos EUA

Um grupo que declara simpatia aos jihadistas do Estado Islâmico invadiu a conta no Twitter e a página no YouTube do Comando Central americano (Centcom) nesta segunda-feira, e publicou na internet documentos militares internos.
Em uma embaraçosa propaganda no microblog da instituição militar americana, foi postada uma faixa em preto em branco com a imagem de um combatente com capuz, seguida das palavras “Cybercaliphate” (cibercalifado) e “I love you, Isis” (Eu te amo, EI).
“Podemos confirmar que a conta no Twitter do Centro de Comando Central dos Estados Unidos e do YouTube foram expostas mais cedo hoje. Estamos tomando as medidas cabíveis para lidar com a situação”, afirmou um oficial da Defesa à AFP.
O cibercalifado “já está aqui, estamos em seus computadores pessoais, em cada base militar”, escreveram os hackers no Twitter do Centcom, antes de as autoridades decidirem suspender o serviço.
O poderoso Comando Central militar dos Estados Unidos, sediado em Tampa, na Flórida, supervisiona as operações aéreas lideradas pelos Estados Unidos contra o grupo no Iraque e na Síria, bem como outras forças americanas no Oriente Médio e no Chifre da África.
Um outro detalhe embaraçoso: a invasão nas contas das mídias sociais do Centcom ocorria no momento em que o presidente Obama fazia um discurso sobre cibersegurança.
Não está claro ainda se a invasão representou uma ameaça genuína a redes de computador sensíveis, além de sites publicamente acessíveis, e oficiais do Pentágono alertaram a imprensa que evite tirar conclusões precipitadas.
“Há uma diferença significativa entre o que é um grande vazamento de dados e a invasão a uma conta no Twitter”, disse a jornalistas o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest.
“Estamos examinando e investigando a extensão deste incidente”, prosseguiu.
Autoridades americanas disseram que aparentemente nenhum documento secreto foi postado pelos hackers.
Foi publicado no ‘feed’ do Twitter do Centcom um arquivo com telefones de oficiais, que parecia estar sutilmente desatualizado, assim como o que pareciam ser fotos pessoais tiradas por soldados e alguns slides em ‘power point’ relacionados à Coreia do Norte e à China, mas nenhum documento parecia conter informação secreta.
Comandantes e altos oficiais americanos já tinham dito que o grupo Estado Islâmico tem demonstrado uma grande habilidade para a propaganda e a autopromoção para potenciais recrutas jihadistas.
FONTE: Yahoo/AFP
SEGURANÇA NACIONAL BLOG.SNB

Arquivo do blog segurança nacional