sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Novo sistema portátil para defesa antiaérea

O sistema portátil de mísseis de defesa aérea Verba, desenvolvido pela Oficina de Engenharia de Instrumentação da holding Vysokotochnye Sistemas de Precisão,  deverá substituir os sistemas da geração anterior que estão atualmente a serviço das Forças Armadas da Rússia, conhecidos como Igla-S. Lotes da nova arma já foram distribuídos para alguns regimentos de tropas aerotransportadas do Exército da Rússia.
Atualmente, além da Rússia e dos países da CEI (Comunidade dos Estados Independentes), o sistema portátil de mísseis de defesa aérea Igla está a serviço nas Forças Armadas de mais de 30 países, incluindo Bulgária, Sérvia, Croácia, Polônia, Finlândia, Vietnã, Cingapura, Brasil, México, Venezuela, Peru, Nicarágua, Cuba, Índia, Alemanha, Iraque e Malásia.A principal diferença entre o Verba e os vetores de geração anterior está na cabeça de orientação automática (COA) com comando óptico multiespectral de guiagem térmica. Graças a ela é possível distinguir o alvo dos chamarizes térmicos passivos, os quais  são atualmente elementos obrigatórios dos sistemas de autodefesa não apenas de aviões de combate,  bem como de helicópteros e aviões de ataque, mas também de aviões e helicópteros de transporte.
O auto diretor do  míssil Verba consegue enxergar o alvo em três espectros. Por isso, pode distingui-lo mesmo em caso de uso dos chamados projetores a laser ,capacidade  que permite detectar e atingir alvos com baixa radiação térmica, tais como veículos aéreos não tripulados e mísseis de cruzeiro.
A maioria dos sistemas portáteis de mísseis de defesa antiaérea  (MANPADS- Man-Portable Air-Defense Systems) só funcionam bem quando lançados  em rota de perseguição, ou seja, o míssil é disparado só depois da passagem do alvo pela posição do atirador, perseguindo-o orientando-se pela emissão térmica do (s) motor (es). O sistema Verba, que possui como vetor o míssil 9M336 consegue, ao mesmo tempo, "pegar" o inimigo que vem de frente. Nesse caso, a COA óptica multiespectral capta não somente  o calor emitido pelo (s) motor (es) da aeronave, mas também o calor gerado pelo aquecimento das asas, das superfícies de cauda e da fuselagem devido à fricção do ar.
Por enquanto, a maioria das características do Verba permanece em segredo. Mas pelos dados já divulgados pela mídia, o míssil é capaz de atingir alvos à distancias  de até 6,5 km voando a uma altitude da ordem dos 4,5 km. O Igla consegue interceptar  o alvo quase à mesma distância, contudo, a uma altitude de apenas 3,5 km.O sistema Verba, com a ajuda de um terminal  automatizado de controle (SAC), fornecido com o conjunto, pode ser utilizado individualmente ou como parte de uma bateria. Graças ao SAC, o comandante, além de  ter acesso aos dados de radares terrestres,  recebe também  informações procedentes de aeronaves  AEW&C (Controle Aéreo e Alerta Antecipado) para obtenção de dados complementares para ver antecipadamente informações sobre alvos e distribuí-los entre os operadores automaticamente.
Por enquanto, apenas as forças armadas dos Estados Unidos e da França possuem sistemas com características de desempenho semelhantes, equipados com piloto óptico de orientação multiespectral ,os quais ainda não estão liberados para exportação .Entretanto, segundo fontes russas, o Verba  é superior aos homólogos estrangeiros. De acordo com a doutrina de cada uma das Forças Armadas russas, é possível que surjam modelos de baterias sobre rodas ou lagartas.
Ivan Plavetz
SEGURANÇA NACIONAL BLOG.SNB 

Arquivo do blog segurança nacional