quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Echar 20 A da XMobots recebe certificação da ANAC

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) acaba de autorizar a operação do Veiculo Aéreo Não Tripulado (VANT) Echar 20A, aeronave desenvolvida no Brasil pela XMobots, empresa domiciliada em São Carlos, interior do estado de São Paulo. Com essa autorização, o modelo passa ser o quinto VANT civil brasileiro a obter a licença para operar no espaço aéreo do País. Em maio de 2013, o Nauru 500 da mesma empresa recebeu o primeiro Certificado de Autorização de Voo Experimental (Cave) expedido pela ANAC.O documento regulamentar para o Echar 20A foi emitido pela ANAC em dezembro último, contudo, ainda havia testes complementares a serem cumpridos, os quais foram feitos ao longo de janeiro. De acordo com a ANAC, o VANT atende às exigências da Instrução Suplementar 21-002A, expedida em outubro de 2012. A norma determina que VANTs certificados com a CAVE possam sobrevoar áreas rurais. Voos sobre cidades não são autorizados por questões de segurança e precisam de notificação prévia dirigida à Aeronáutica.
Pesando cerca de sete quilos, o Echar possui 2,13 metros de envergadura, 0,42 metro de altura e é lançado por uma catapulta. O voo do aparelho é totalmente automático, incluindo decolagem e aterrissagem, necessitando apenas de um operador para acompanhar o veiculo enquanto ele estiver no ar. Tem um alcance de comunicação de até 10 km a partir do terminal de controle em solo e autonomia de voo chega há 70 minutos. A altitude máxima de operação é de três mil metros.Seu custo comercial gira em torno de R$ 150 mil e a Xmobots já está vendendo unidades do modelo para institutos de pesquisa e desenvolvimento, bem como universidades do Rio Grande do Sul, Bahia e Mato Grosso, onde serão usados para estudos nas áreas de agricultura de precisão e previsão meteorológica
Até 2013, apenas a Polícia Federal possuía autorização para operar VANTs civis, contando atualmente com VANTs Heron comprados de Israel. Além dos dois modelos da XMobots, em agosto, um drone produzido pela Universidade de Brasília (UnB) para o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) também recebeu autorização para fiscalizar mineração ilegal. Já a Força Aérea Brasileira (FAB) possui 4 unidades do Hermes 450, também de origem israelense, sendo que neste caso não há necessidade de autorização da ANAC.
Por Ivan Plavetz
SEGURANÇA NACIONAL BLOG,SNB

Arquivo do blog segurança nacional