sábado, 28 de dezembro de 2013

DCNS realiza verificação da catapulta de vante do porta-aviões ‘São Paulo’

A pedido da Marinha do Brasil, a DCNS realizou a verificação na catapulta de vante do porta-aviões São Paulo. A catapulta a vapor, que já realizou mais de 5.000 lançamentos, é um elemento chave para a capacidade do porta-aviões. O objetivo desta intervenção foi a realização de diagnósticos e estudos para a Marinha do Brasil restaurar o potencial da catapulta.
Os trabalhos foram realizados em novembro, nas instalações da Marinha no Rio de Janeiro. Após a intervenção da equipe, a catapulta foi disparada a seco duas vezes, demonstrando o desempenho esperado. As autoridades brasileiras manifestaram a sua satisfação.
No porta-aviões, a catapulta é utilizada para lançar aeronaves. Ela lança os aviões a altas velocidades em uma distância muito curta.
De Foch a São Paulo
Irmão do Clemenceau, o porta-aviões Foch começou a ser construído em Saint- Nazaire, em 1957, e foi lançado ao mar três anos depois. Foi rebocado para o arsenal de Brest para conclusão. Ele entrou em serviço ativo em 1963 e deixou a Marinha Francesa em 2000, quando o porta-aviões com propulsão nuclear Charles de Gaulle entrou em serviço.
Depois de um longo período de manutenção e atualização, o Foch foi transferido para a Marinha do Brasil. Em 15 de novembro de 2000, tornou-se oficialmente o porta-aviões brasileiroSão Paulo.
Com um comprimento de 265 metros e um deslocamento de cerca de 33 mil toneladas quando totalmente carregado, o São Paulo é capaz de levar a bordo 18 Skyhawks. No São Paulo, duas catapultas a vapor lançam aeronaves de 0-270 km / h em 2 segundos.
dcnsgroup.com,,SEGURANÇA NACIONAL BLOG,,,SNB

Arquivo do blog segurança nacional