sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Autorizada negociação para compra do sistema Pantsir-S1

Portaria assinada pelo ministro da Defesa, Celso Amorim, divulgada no Diário Oficial da União (DOU) nesta quinta-feira (5), autoriza abertura dos processos de negociação para compra do sistema russo de artilharia antiaérea de médio alcance Pantsir-S1, capaz de abater alvos aéreos voando entre 200 metros e 20 km de distância e entre 5 km e 15 km de altitude. Esse equipamento pode atuar contra até 24 alvos simultâneos, sejam eles aviões, veículos aéreos não tripulados (VANT) e helicópteros, entre outros.
O negócio entre Brasil e Rússia esta sendo finalizado após um acordo de intenção assinado em fevereiro último em Brasília pelo primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, e o vice-presidente da República, Michel Temer. O objetivo inicial é adquirir cinco baterias antiaéreas, sendo duas delas de mísseis portáteis tipo MANPADS (Man-Portable Air-Defense System) Igla, de alcance máximo de 5 km e orientados por radiação infravermelha, e três do modelo Pantsir-S1, de médio alcance. As negociações envolvendo o Pantsir-S1 ficarão a cargo do Comando da Aeronáutica enquanto os Igla serão negociados pelo Exército Brasileiro. Um grupo de trabalho irá para a Rússia conhecer os sistemas, negociar valores e apresentar uma proposta de contrato.
Segundo a portaria do Ministério da Defesa, a compra envolve “transferência irrestrita de tecnologia”. Além disso, o texto admin/publicado no DOU menciona a dispensa de licitação referentes ao sistema de médio alcance por força da Lei que permite compras sem concorrência quando a segurança nacional esta acima de interesses menores. Com relação aos Igla a dispensa baseia-se na padronização requerida pelas estruturas logísticas das Forças. O conteúdo da portaria menciona também que será adquirido também um sistema de controle e alerta para artilharia de médio alcance, que ainda está em fase de desenvolvimento em conjunto com a Rússia, bem como três sensores e três centros de operações para o Pantsir-S1, além de itens logísticos, de simulação, de capacitação operacional e operação das armas. Cada bateria Pantsir-S1 russa engloba seis carros 8x8 equipados com radares, mísseis e canhões, e veículos de apoio e  Remunisiamento /manutenção.Além de preencher uma lacuna há muito tempo existente na capacidade militar do País, a chegada desse material de defesa antiaérea vem atender ao requisitos de segurança das instituições internacionais que estão coordenando os preparativos para os grandes eventos esportivos que acontecerão no Brasil nos próximos três anos, como por exemplo, a Copa do Mundo de 2014 gerenciada pela Federação Internacional de Futebol (FIFA), e as Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro.
Por Ivan Plavetz
SNB..

Arquivo do blog segurança nacional