quinta-feira, 13 de junho de 2013

IAE realiza ensaios Aerodinâmicos do VLM-1

A Divisão de Aerodinâmica (ALA) do IAE vem realizando campanha de
ensaios com modelo do Veículo Lançador de Microssatélites (VLM) em seu Túnel Transônico Piloto (TTP). Esta campanha, de caráter preliminar, representa o primeiro passo de uma ampla análise experimental a ser desenvolvida em colaboração com a Divisão de Sistemas Espaciais (ASE) e o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Os trabalhos serão executados pela equipe da ALA em apoio às atividades de um aluno de graduação do ITA, para elaboração de seu Trabalho de Graduação em Engenharia Aeroespacial, com o tema “Procedimento Experimental para a Análise Aerodinâmica do Veículo Lançador de Microssatélite VLM-1”.
O TTP é um túnel moderno, considerado semi-industrial, com área da seção de testes de 30 cm x 25 cm e com controles automáticos para ajustes de número de Mach (de 0,2 a 1,3), pressão total (de 0,5 bar a 1,2 bar), temperatura total e umidade, sendo adequado para ensaios de modelos com geometria simples, como os veículos espaciais. Para esta classe de veículos, o conhecimento do comportamento aerodinâmico na faixa transônica, embora presente em um breve período, é fundamental para que o artefato possa navegar ao longo de toda sua trajetória e, portanto, para que cumpra sua missão.
O TTP já tem executado ensaios com outros veículos, como o Sonda III e o VS-40, com apoio da AEB e do CNPq, e tem apoiado a formação e capacitação em ensaios transônicos dos cursos de Engenharia Aeroespacial do ITA e de Pós-graduação do IAE.
Nesta primeira campanha de ensaios serão investigados parâmetros globais de desempenho por meio da visualização do escoamento no entorno do modelo por meio da técnica Schlieren de visualização e os esforços serão determinados por meio da balança interna multi-componentes. A obtenção da distribuição de pressão sobre a superfície do modelo será feita com base na moderna técnica de tinta sensível a pressão (PSP). Alguns ensaios de esforços já foram realizados com a obtenção da curva de coeficiente de arrasto para ângulo de ataque nulo (CD_zero), polares de arrasto e efeitos de variação do número de Reynolds.
IAE
SNB

Arquivo do blog segurança nacional