sexta-feira, 24 de maio de 2013

Brasil recebe outro navio-patrulha encomendado ao Reino Unido

Rio de Janeiro, 24 mai (EFE).- A Marinha do Brasil recebeu nesta sexta-feira o segundo dos três navios de patrulha oceânica de 1,8 mil toneladas que encomendou ao Reino Unido para reforçar a fiscalização de suas áreas marítimas.

Trata-se do navio-patrulha "APA", uma embarcação com 90,5 metros de comprimento e capacidade para 120 militares, que foi apresentada publicamente hoje no Rio de Janeiro pelo comandante da Marinha, almirante Júlio Soares de Moura Neto.

O navio de 1,8 mil toneladas, o maior de seu tipo na frota brasileira de guerra, é idêntico ao "Amazonas", recebido pelo Brasil em outubro do ano passado, e ao "Araguari", cuja chegada está prevista para o segundo semestre deste ano.

Os três tiveram um custo de cerca de US$ 200 milhões e foram construídos pela empresa britânica BAE Systems Maritime - Naval Ships em Portsmouth (Reino Unido) com a finalidade de atender as necessidades de fiscalização das águas jurisdicionais brasileiras.

O "Apa", batizado com o nome de um rio no Pantanal que serve de fronteira entre Brasil e Paraguai, tem capacidade para deslocar-se a uma velocidade de 25 nós e conta com uma autonomia de navegação de 35 dias, o que lhe permite atravessar o Atlântico sem apoio.

A embarcação, que transporta um helicóptero e duas lanchas, tem uma tripulação de 80 marinheiros, além de 39 fuzileiros navais e pode abrigar até seis contêineres de 15 toneladas.

Seu armamento está composto por três canhões, um deles de 30 milímetros, duas metralhadoras de 12,7 milímetros removíveis, dois pontos para a montagem de fuzis e dois lançadores de foguetes de iluminação.

O "Apa" chegou ao Rio de Janeiro, que será sua base, um mês e meio após ter partido de Portsmouth e depois de uma viagem com escalas em Portugal, Espanha, Mauritânia, Senegal, Gana, Angola, Namíbia e o porto do Rio Grande, no sul do país.

"A aquisição dos três navios acrescenta grande valor para que a Marinha possa intensificar as ações de vigilância e inspeção naval destinadas à segurança do tráfego marinho militar e a prevenção da poluição ambiental ao longo da extensa área marítima sob responsabilidade do Brasil", afirmou um comunicado da Marinha.

A nota acrescenta que o navio operará principalmente nas reservas marinhas das quais o Brasil extrai mais de 90% de seu petróleo.

O país contava até o ano passado com navios-patrulha de até 500 toneladas fabricados aqui para realizar tarefas de fiscalização; agora as três novas embarcações, com maior autonomia, elevarão significativamente a capacidade operacional.

O contrato assinado com o estaleiro britânico prevê o direito de o Brasil fabricar no país navios do mesmo modelo e o Ministério da Defesa já tem planos para construí-los. 
EFE..SNB

Arquivo do blog segurança nacional