sexta-feira, 12 de abril de 2013

Grupo de elite da Marinha acaba de receber modernos minissubmarinos

Raphael Gomide
do iG Rio


Rio - Em 1941, na 2ª Guerra Mundial, seis ‘homens-rãs’ da Marinha italiana, com garrafas de oxigênio que duravam até 6h, saíram de um submarino perto de Alexandria e entraram em minissubmarinos com torpedos. A embarcação, de 1,5 tonelada e 6,7 metros, tinha velocidade de 2 nós (3,7 km/h) e comportava dois militares sentados.
Eles entraram no porto sem ser detectados e plantaram explosivos que afundaram dois navios de guerra e um navio-tanque britânicos, total de 80 mil toneladas. A história é analisada em detalhes no livro “Spec Ops” (Operações Especiais, em tradução livre), do almirante William McRaven, titular do Comando de Operações Especiais dos Estados Unidos e chefe do Comando Conjunto de Operações Especiais quando os Seals norte-americanos mataram Bin Laden, em 2011.
O Grumec (Grupamento de Mergulhadores de Combate), unidade de elite da Armada da Marinha Brasileira, acaba de receber minissubmarinos americanos da Stidd Systems, expostos na LAAD (Feira Internacional de Defesa e Segurança), no Rio. Os equipamentos navegam a 8 nós (15km/h), “muito rápido debaixo d’água”, explica o capitão de corveta Cláudio Pereira da Costa.
No Brasil, a unidade da Marinha é a designada para fazer retomadas de plataformas de petróleo e navios e combate à pirataria naval, além de contraterrorismo e abordagem a navios hostis. Um destacamento integra a força naval da Missão da ONU no Líbano.
BLINDADOS
Será assinado até o dia 19 o contrato de compra pelo Brasil de 34 carros de combate Gepard, da artilharia antiaérea alemã. Os equipamentos já foram usados pelo exército alemão e remodelados. Oito chegarão neste semestre para a Copa das Confederações e a visita do Papa Francisco. Eles derrubam alvos a 15 km e até 3 km de altitude.
O DIA ...SNB

Arquivo do blog segurança nacional