quarta-feira, 24 de abril de 2013

Força Aérea comemora Dia da Aviação de Caça com destaque aos brasileiros veteranos de guerra

 O lema “voar, combater e vencer” ecoou na Base Aérea de Santa Cruz, no Rio de Janeiro, como parte das comemorações alusivas ao Dia da Aviação de Caça – celebrado na manhã desta segunda-feira (22). Em duas solenidades, uma delas com a presença do ministro da Defesa, Celso Amorim, os veteranos brasileiros da 2ª Guerra Mundial foram os grandes homenageados.O foco foi para a atuação dos pilotos do 1º Grupo de Aviação de Caça (1º GAvCa) nos céus da Itália em 1945. “Destacou-se a coragem, eram todos voluntários e jovens, entre 20 e 30 anos. Alguns não retornaram para casa”, discursou com voz embargada o comandante do 1º GAvCa, tenente-coronel-aviador Eduardo Almeida da Silva.

As palavras do comandante foram ditas logo nas primeiras horas do dia, durante formatura do P-47 (modelo do avião usado pelos veteranos na época). Na ocasião, ele relembrou, com pesar, o falecimento, no mês passado, de um dos remanescentes de guerra, o brigadeiro José Rebelo Meira de Vasconcelos. E disse: “Um dia antes de sua morte, conversei com o brigadeiro Meira sobre a importância dos veteranos”. Neste momento, foram lidos os nomes dos integrantes do grupo já falecidos, homenageados com salva de tiros.

O coronel completou dizendo que este ano, pela primeira vez, nenhum veterano piloto esteve presente nas comemorações. “Só temos dois vivos, mas que por restrições de saúde não puderam vir”, disse referindo-se aos brigadeiros Rui Barbosa Moreira Lima e José Carlos de Miranda Corrêa.

Após o término da solenidade, os presentes deslocaram-se para outro pátio de formatura, onde assistiram a cerimônia do Dia da Aviação de Caça. Antes de iniciar, fitaram os olhos para cima observando o sobrevoo de aeronaves na Base de Santa Cruz.
Dissuasão e pronta-resposta
O evento seguinte foi presidido por Celso Amorim. A seu lado estava o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito. Além de complementar as festividades do Dia da Aviação de Caça, a cerimônia teve o objetivo de condecorar militares e instituições da Força Aérea Brasileira (FAB).

Em ordem do dia lida durante a solenidade, assinada pelo comandante-geral de Operações Aéreas, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, foi destacado o legado deixado pelos remanescentes da 2ª Guerra. “A inspiração pelo exemplo e os ensinamentos transmitidos pelos nossos veteranos, traçaram ­­o caminho sólido que nos traz até os dias atuais. Gerações de pilotos e de pessoal de manutenção foram forjadas dentro de um mesmo espírito, uma mesma doutrina.”

Também foi mencionada pelo comandante-geral a necessidade de investimento na renovação da frota de aeronaves da FAB, a fim de manter a integridade do espaço aéreo. “Levando-se em conta a estatura do nosso país e a inquestionável e prioritária importância do poder aéreo para dissuadir eventuais agressões é fundamental a existência de meios materiais e bélicos que mantenham nossa capacidade de pronta-resposta. (...) Assim, há a necessidade de investimentos que garantam a confiabilidade e a atualização de nossa frota de aeronaves.”

Participaram das cerimônias o comandante da Base Aérea de Santa Cruz, coronel-aviador Sérgio Barros de Oliveira, e demais personalidades civis e militares. A última solenidade foi encerrada com desfile ao som do hino Senta a Púa.
Fotos: Tereza Sobreira
Assessoria de Comunicação Social (Ascom)Ministério da Defesa
SNB

Arquivo do blog segurança nacional