terça-feira, 23 de abril de 2013

EUA vendem US$ 10 bilhões em equipamento militar a Israel

DIOGO BERCITO DE JERUSALÉM

Chuck Hagel, secretário de Defesa dos EUA, anunciou no domingo durante visita a Israel a venda de equipamento militar em valor estimado em US$ 10 bilhões (R$ 20 bilhões).
Os armamentos, que incluem helicópteros de transporte e de reabastecimento, têm como intuito "garantir a superioridade aérea" do país, no que foi entendido como uma mensagem clara ao Irã.
O pacote inclui as aeronaves V-22 Osprey, até então não exportadas para fora dos EUA. Capazes de decolar e pousar verticalmente, são um equipamento considerado avançado na área, e devem garantir que Israel esteja na vanguarda aérea na região.
O número de aeronaves não foi divulgado oficialmente.
"Os EUA e Israel estão lidando com os desafios dessa nossa dura vizinhança, em primeiro lugar e principalmente o Irã", afirmou Moshe Yaalon, ministro da Defesa de Israel, durante o evento.
Questionado sobre um possível ataque israelense ao Irã, Hagel afirmou crer que esse cálculo deve ser feito por Israel --"toda nação soberana tem o direito de defender-se".
A administração americana demonstrou no entanto, em outras ocasiões, receio de que uma ofensiva israelense acenda uma guerra regional, tragando outros países ao confronto.
De maioria xiita, o Irã tem como aliados o regime de Bashar Assad, na Síria, e o grupo radical Hizbollah, no Líbano.
Analistas têm apontado que, com a proximidade das eleições presidenciais iranianas, em junho, Israel está desacelerando a retórica contra Teerã, dando tempo aos esforços de negociação --por enquanto, sem resultado.
O Irã insiste em seu direito de enriquecer urânio, afirmando fazê-lo para uso doméstico de energia. A comunidade internacional, no entanto, teme que o objetivo do país persa seja o bélico. Acredita-se que, hoje, Israel seja o único país no Oriente Médio a possuir um arsenal nuclear.
VOLTA
Hagel iniciou anteontem um giro de uma semana pela região, com foco na ameaça iraniana e na guerra civil síria. Durante a viagem, irá tratar da venda de armamentos não apenas a Israel, mas também à Arábia Saudita e aos Emirados Árabes Unidos.
Após Israel, o secretário de Defesa americano irá a Amã. De lá, seguirá para Arábia Saudita, Egito e Emirados Árabes --onde deve finalizar a venda de caças F-16, em acordo que inclui o treinamento de pilotos emirados.
Enquanto Hagel realiza seu giro pelo Oriente Médio, John Kerry anunciou no domingo, em Istambul, que irá dobrar o auxílio repassado à insurgência síria na aquisição de "suprimentos não letais". Com isso, serão US$ 123 milhões (R$ 247 milhões) adicionais.
Não está claro de que equipamentos se trata, mas a administração americana já havia sinalizado ter a intenção de auxiliar com vestes de proteção e visores noturnos. 
FOLHA...........SNB

Arquivo do blog segurança nacional