segunda-feira, 11 de março de 2013

PC vai dividir espaço com outros tipos de dispositivo

EMERSON KIMURA..O computador pessoal em seus formatos mais tradicionais --desktop e laptop-- dificilmente deixará de existir. Ele apenas dividirá espaço com um número cada vez maior de dispositivos.
"A mobilidade e a facilidade para acessar informações a qualquer hora e de qualquer local têm impulsionado a demanda por tablets e smartphones", diz Ronaldo Miranda, gerente-geral da AMD Brasil. "Mas não acho que o PC morrerá. Ele evoluirá e continuará a ter utilidade."
Daniel Almeida/Editoria de Arte/Folhapress
"Para algumas funções, como digitação, ele é ainda imbatível", diz Paulo Iudicibus, diretor de novas tecnologias e inovação da Microsoft.
"Não enxergamos canibalização, mas sim multiplicação de equipamentos", afirma Carlos Rabello, gerente de produto da Dell. Os usuários não estariam substituindo o PC pelo tablet ou pelo smartphone, mas sim adquirindo estes sem eliminar aquele. A oferta cada vez maior de alternativas ao PC permitirá aos usuários escolher o melhor equipamento para cada necessidade ou circunstância, diz Rabello.
A ARM, que desenvolve os chips que equipam a grande maioria dos aparelhos móveis no mundo, vê um cenário mais favorável para ela.
"Os consumidores rapidamente adotaram a ideia de que tablets e smartphones podem ser usados como o principal dispositivo de computação", diz Antonio Viana, vice-presidente-executivo da empresa. "Hoje realmente vivemos em um mundo pós-PC."
Marcel Campos, diretor de produtos da Asus Brasil, acredita que a migração do PC para outros aparelhos pode até ocorrer, mas hoje é limitada pela interface e pelo software destes. Para ele, ainda há muito a evoluir em diversas áreas --como realidade aumentada e reconhecimento de fala e de gestos. "Antes de abandonarmos por completo o PC como o conhecemos, o que talvez ocorra daqui a 15 ou 30 anos."
"Se eu tenho um trabalho maior para fazer", conta Steve Furber, professor da Universidade de Manchester, "pego meu laptop, porque gosto do teclado completo e da tela maior para isso". Falta uma ferramenta melhor para inserir dados em dispositivos móveis, diz Furber, um dos criadores do processador ARM. "Talvez, quando um sistema de voz que funcione seja realidade, o problema desapareça e eu faça esse trabalho no meu iPad."
FOLHA DE S PAULO....SNB

Arquivo do blog segurança nacional