sábado, 30 de março de 2013

Embraer revela sucessos e projetos na Flórida


A venda dos caças Super Tucanos colocou a Embraer na lista dos fornecedores das Forças Armadas dos Estados Unidos
A Brazilian American Chamber of Commerce of Florida (BACCF) promoveu na semana passada um café da manhã para associados na sede da Embraer, em Fort Lauderdale.
O presidente da Embraer Aircraft Holding, Gary Spulak, foi o anfitrião, e aproveitou a ocasião para falar sobre as novidades da montadora nos Estados Unidos.Spulak destacou a recente venda dos caças Super Tucano para a Força Aérea americana "o primeiro contrato militar com os Estados Unidos" e anunciou novas negociações, que somam mais de 1 bilhão de dólares em vendas. Outro ponto importante abordado foi a implantação da unidade industrial em Jacksonville, Flórida, um ambicioso projeto que visa a maior aproximação da Embraer com grande parte dos seus clientes, tanto na área militar como na comercial e executiva, ao mesmo tempo em que a montadora aproveita a mão de obra altamente especializada em tecnologia aeroespacial egressa de antigos projetos espaciais americanos no Estado da Flórida.
O cônsul brasileiro em Miami, Hélio Vitor Ramos Filho, esteve presente e ressaltou em discurso a crescente importância da montadora na indústria aeroespacial nos Estados Unidos e no mundo, e ainda o trabalho desenvolvido por Gary Spulak à frente da empresa.
Terceira maior do mundo
A Embraer, terceira maior fabricante de aviões comerciais do mundo, se mostrou otimista com possíveis pedidos de grandes empresas aéreas dos Estados Unidos e espera concluir campanhas de venda no país nos próximos meses, afirmou o presidente-executivo da empresa Frederico Curado na semana passada.
Em meio à disputa com a rival canadense Bombardier para renovar a frota da United Continental e das empresas em processo de fusão American Airlines e US Airways, Curado sinalizou que grandes pedidos podem ocorrer.
"Há algumas campanhas importantes nos EUA que devem amadurecer logo. Há discussões em andamento e estamos confiantes de que vamos ter uma participação importante dessas oportunidades. Ao longo dos próximos meses esperamos ter confirmações", disse Curado em teleconferência com analistas.
O executivo se mostrou confiante com o desempenho da empresa nos EUA e afirmou que "“vê algumas atividades na América Latina", destacando o plano de incentivo à aviação regional no Brasil. "Estruturalmente, isso é uma notícia boa para fabricantes de aviões regionais, incluindo nós".
Questionado sobre o desenvolvimento do Legacy 500, Curado afirmou que a campanha de vendas "está melhor que o esperado".
A Embraer divulgou ter encerrado o quarto trimestre com lucro de 253,7 milhões de reais, revertendo prejuízo de um ano antes, e totalizando lucro de 698 milhões de reais em 2012.
A margem operacional (Ebit) da empresa ficou em 10 por cento no ano, enquanto a margem Ebitda ficou em 14,5 por cento, ambas acima da previsão da empresa, de 9 a 9,5 por cento e de 12,5 a 13,5 por cento, respectivamente.
Para 2013, a Embraer espera margem operacional de 9 a 9,5 por cento, enquanto para a margem Ebitda a expectativa é de 13 a 14 por cento.
Questionado sobre as expectativas da empresa para 2014 e 2015, Curado evitou entrar em detalhes, mas afirmou que as margens podem ser pressionadas por mix de produtos diferente.
"Temos que lembrar que, embora possamos ter aumento nos volumes, o mix de produtos pode não ser favorável. Teremos muita demanda por regionais dos EUA. É um avião menor, com menor preço. É prematuro hoje ficar muito otimista com alta nas margens", disse Curado.
O executivo também comentou que espera queda no peso das despesas administrativas na receita, dos atuais 12 por cento para entre 10 e 11 por cento neste ano, em meio à expectativa de que o volume de custos em 2012 não se repita em 2013.
SNB

Arquivo do blog segurança nacional