quinta-feira, 21 de março de 2013

Ciberataque a Seul aumenta tensão com Pyongyang


SEUL - O Estado de S.Paulo
A Coreia do Sul investiga a possibilidade de que a Coreia do Norte tenha sido responsável pelo ataque cibernético que derrubou ontem os servidores de três emissoras de TV e três bancos locais. A tensão entre os dois países intensificou-se com as crescentes ameaças do jovem líder norte-coreano Kim Jong-un contra o vizinho do sul e os EUA.
A ação simultânea ocorreu cinco dias após Pyongyang acusar ambos os países por um ataque cibernético que tirou do ar temporariamente websites norte-coreanos na semana passada.
As duas principais redes de TV da Coreia do Sul, KBS e MBC, mantiveram a transmissão, mas informaram que seus computadores estavam "congelados". O canal de TV à cabo YTN teve o mesmo problema. O site da KBS ficou fora do ar.
As transações via internet do Banco Shinhan, o quarto maior credor do país, foram bloqueadas. Outros dois bancos, NongHyup e Jeju, tiveram seus computadores infectados por vírus e arquivos apagados, o que levou à paralisação das operações em algumas agências.
Em nota, a Comissão de Serviços Financeiros da Coreia do Sul informou que as operações foram restabelecidas após duas horas. Outro banco, Woori, informou ter sofrido um ataque de hackers, mas sem danos para suas operações.
Os militares sul-coreanos e a Comissão de Comunicações colocaram o alerta para ataques cibernéticos em um nível mais alto. Agências do governo e empresas foram aconselhadas a aumentar o monitoramento de seus sistemas contra possíveis novos ataques de hackers.
O governo sul-coreano foi cauteloso em apontar culpados e disse que ainda era cedo para responsabilizar a Coreia do Norte pelos ataques simultâneos.
Após uma investigação inicial, especialistas em Seul descobriram que um vírus havia invadido as redes das empresas, segundo Lee Seong-won, da Comissão de Comunicações. Uma vez ativado, o código malicioso (Malware, termo genérico usado para designar programas desenvolvidos para causar danos em outras máquinas) interrompeu a inicialização de computadores.
"Vai levar algum tempo para descobrirmos a identidade e a motivação dos que estavam por trás do ataque", disse Lee. As autoridades também investigam se a imagem de caveiras que apareceram em algumas telas de computador têm ligação com o ataque de vírus.
Ameaças. No dia 8, a Coreia do Norte declarou nulo o armistício que colocou fim à Guerra da Coreia, em 1953, em resposta à continuidade dos exercício militares conjuntos dos EUA e da Coreia do Sul. No dia anterior, horas antes de o Conselho de Segurança da ONU aprovar novas sanções econômicas contra o país, o governo de Pyongyang ameaçou lançar um "ataque nuclear preventivo" contra os EUA. "Não podemos descartar a possibilidade de envolvimento da Coreia do Norte, mas não queremos tirar conclusões precipitadas", disse o porta-voz do Ministério da Defesa, Kim Min-seok. / AP e REUTERS
SNB

Arquivo do blog segurança nacional