domingo, 18 de novembro de 2012

Discos rígidos a laser armazenam 100 vezes mais dados


Gravação assistida por calor
Discos rígidos com velocidade de rotação mais alta têm menor tempo de acesso e podem guardar mais dados por área.
O problema é que o aumento de velocidade tem limites muito estritos porque impõe cargas mecânicas sobre os componentes que já estão próximas dos seus limites físicos - sobretudo sobre a cabeça de gravação.
Uma alternativa que vem sendo pesquisada nos últimos poucos anos é a chamadagravação magnética assistida por calor, ou HAMR, na sigla em inglês (Heat Assisted Magnetic Recording).
Em um HD-HAMR, um laser é apontado para o ponto exato onde o bit será gravado, por assim dizer "amolecendo" o grânulo magnético.
Isso permite que a operação de gravação magnetize mais fortemente o material, o que se traduz na gravação de dados em bits menores, elevando a densidade de armazenamento.
Os cálculos indicam que um disco rígido a laser conseguirá gravar 100 vezes mais dados na mesma área usada hoje.
Discos rígidos quentes
Contudo, embora o calor usado na gravação seja localizado em um ponto muito preciso, não sendo suficiente para aquecer o HD inteiro, ele é bastante para desestabilizar a cabeça de gravação.
Aquecer a minúscula cabeça de gravação significa tirá-la do alinhamento e perder a maior parte do potencial de ganho da tecnologia.
Agora, Baoxi Xu e seus colegas do Instituto de Armazenamento de Dados de Cingapura colocaram esta técnica às portas de sua adoção comercial.
Estudando o aumento de temperatura na cabeça de gravação, os efeitos termais no disco e a resposta termal do lubrificante necessário para a técnica de gravação assistida por calor, eles descobriram como maximizar a densidade de gravação.
Discos rígidos a laser armazenam 100 vezes mais dados
gravação magnética assistida por calor surpreendente porque sempre se acreditou que o calor destruísse a ordem magnética. [Imagem: Johan Mentink/Alexey Kimel/Richard Evans]
HD a laser
A equipe começou identificando as três maiores fontes de calor criadas pela técnica: o diodo laser, o transdutor óptico, que concentra a luz do laser em um ponto nanométrico que define o tamanho do bit, e o pólo de escrita, que faz a gravação física no prato do HD.
Eles descobriram que a temperatura do transdutor depende do seu tamanho e da distância do pólo de escrita, ambos podendo ser facilmente controlados em um dispositivo comercial.
Eles também descobriram que a temperatura do sistema pode ser mantida mais baixa reduzindo o número de camadas que o calor deve atravessar antes de se dissipar.
Os pesquisadores afirmam que os parâmetros definidos em seu trabalho já permitem a construção dos primeiros protótipos dos novos HDs com gravação assistida por calor, ou HDs a laser, como eles os chamam.
segurança nacional blog

Arquivo do blog segurança nacional