domingo, 23 de setembro de 2012

Em busca de dados secretos sobre ETs


A curiosidade em torno de discos voadores e de seres extraterrestres como o ET de Varginha leva muita gente a solicitar dados oficiais sobre o assunto. ONGs acreditam que governo oculta documentos

RENATA MARIZ

As instituições militares, consideradas parte dos setores mais fechados do governo, vêm sendo bombardeadas de pedidos desde que a Lei de Acesso à Informação entrou em vigor, em maio. Vinte por cento das demandas recebidas pela Aeronáutica até agora, entretanto, são solicitações sobre objetos voadores não identificados, os óvnis. São 59 pedidos dessa natureza, em um universo de 293, firmando-se em segundo lugar no ranking dos temas mais questionados naquele órgão, perdendo apenas para dados pessoais requisitados. O Exército, embora indagado com menos intensidade, apenas 14 dos 410 pedidos perguntam sobre seres de outros planetas, tem sido pressionado a revelar supostos relatórios sobre o caso Varginha.
Os dados mostram o quanto o tema da existência de vida em outros planetas faz parte do imaginário popular. Entre as perguntas encaminhadas pelo Sistema Eletrônico do Serviço de Informações ao Cidadão, desenvolvido por causa da lei, há referências a diversos episódios. "Gostaria de receber relatórios e foto sobre caso de avistamento de óvni, ocorrido em 30 de janeiro de 1985, entre 22h e 6h, a bordo de um avião da FAB, em Minas Gerais. Um caça foi enviado para perseguir o óvni.", diz um dos pedidos. Outro exemplo, endereçado ao Exército, pede "cópia dos relatórios de casos de avistamentos de óvni na cidade de Lins/SP em 1968". A Aeronáutica é mais requisitada por abrigar o órgão responsável pelo recebimento e catalogação de documentos com relatos de óvnis por usuários do sistema de controle de tráfego aéreo: o Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra).
A proporção elevada de pedidos de informações sobre o assunto, segundo Ademar José Gevaerd, presidente do Centro Brasileiro de Pesquisas de Discos Voadores, entidade civil sem fins lucrativos, vem de dois movimentos. "São os estudiosos e também os curiosos. Nós, que lidamos com o assunto, fazemos uma mobilização para mais e mais pessoas solicitarem os dados, no sentido de que o governo brasileiro abra os arquivos", afirma Gevaerd. Para ele, há muito material além das "cerca de 4.500 páginas já divulgadas, das quais 2 mil são lixo, não trazem qualquer informação relevante". Ele classifica o caso Varginha como o "segredo mais bem guardado do Brasil" pelo Exército.
O órgão informou que o episódio foi, por parte do Exército, "devidamente esclarecido à época pelo Comando da Escola de Sargentos das Armas, situada em Três Corações (MG), com a abertura de um Inquérito Policial Militar (IPM), que após sua conclusão foi encaminhado à 4ª Circunscrição Judiciária Militar". Já a Aeronáutica explicou, também em nota, que "após a devida catalogação no Comdabra, tais registros devem ser enviados ao Centro de Documentação e Histórico da Aeronáutica (Cendoc) que, por sua vez, encaminha os originais ao acervo do Arquivo Nacional, oferecendo à sociedade pleno acesso a esta documentação." O órgão ressalta que se restringe a registrar ocorrências, mas não a estudá-las.
Mistério em Varginha
Em janeiro de 1996, uma sequência de notícias levaram o país a supor que, finalmente, ETs haviam feito contato com humanos. Uma movimentação estranha no céu foi relatada e, dias depois, três garotas disseram ter encontrado uma criatura estranha. Outras testemunhas surgiram. E o caso correu o mundo. Militares do Exército e do Corpo de Bombeiros teriam chegado a capturar um ser de outro planeta e o levado para fazer exames em um hospital. Houve uma auditoria militar e o governo negou que tenha havido qualquer movimentação nesse sentido. Um conjunto de boatos levou à versão da história. A explicação é rebatida por ufólogos, que lotaram Varginha na época para estudos. Outro caso considerado emblemático no país é conhecido como noite oficial dos UFOs no Brasil, ocorrido supostamente em 19 de maio de 1986, quando 21 objetos não identificados teriam sobrevoado o Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.
SEGURANÇA NACIONAL BLOG

Arquivo do blog segurança nacional